A Alforria de Joaquim José Pereira

2

25/10/2016 por FG Rincão da Forquilha

Carta de Alforria registrada no livro 3 pags 90 a 91 do 1º Tabelionato de Notas de Lages, datada de 20/11/1791.

O reconhecimento de paternidade ainda hoje é uma decisão difícil de ser tomada, imagina no Brasil Colonial. Pois esta foi a decisão voluntária tomada pelo mais rico estancieiro de Lages no final do século XVIII. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/09/18/morte-do-maior-estancieiro-da-vila-de-lages/

Deve ter sido um acontecimento que marcou época. Um rico estancieiro, dono de muitas fazendas e escravos, conceder alforria, dar seu próprio nome ao alforriado, reconhecê-lo como filho e nomeá-lo herdeiro universal. Um gesto que engrandeceu a biografia deste grande personagem da história regional.

Em 20/02/1772 o capitão Joaquim José Pereira já havia concedido alforria para a mãe do mulato Joaquim. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/08/21/carta-de-alforria-concedida-por-joaquim-jose-pereira-em-1777/

No testamento de 21/11/1810, o capitão Joaquim José Pereira confirmou como seus herdeiros universais os 3 filhos do casamento com Anna Maria de Santa Ritta  https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/08/22/primeiro-casamento-de-tubarao/ e seu filho bastardo.

Joaquim José Pereira casou em 15/07/1811, com Maria Estella do Amaral. O casal teve alguns filhos apadrinhados pelos filhos e netos do capitão Joaquim José Pereira.

Eis a transcrição desta carta de alforria com reconhecimento de paternidade:

“Escritura de Alforria e Liberdade que dão o Capitão Joaquim Jozé Pereira e sua mulher Dona Ana Maria de Santa Rita a um seu Escravo mulato Joaquim filho de uma crioula por nome Florinda sua escrava que foi casada com Domingos seu escravo que foi como sabido se declara

Saibam quantos este publico instrumento de Escritura de Alforria e Liberdade virem que sendo no ano do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil setecentos noventa e um anos aos vinte dias do mês de Novembro do dito ano nesta vila de Nossa Senhora dos Prazeres das Lagens no Escritório de mim Tabelião adiante nomeado e sendo aqui apareceu perante o Capitão Joaquim José Pereira e sua mulher Dona Ana Maria do Sacramento digo Dona Ana Maria de Santa Rita moradores notórios desta vila pessoas reconhecidas por mim Tabelião pelos próprios aqui nomeados de que dou fé e por eles me foi dito e outorgado em presença de testemunhas adiante nomeadas e assinadas que eles entre os mais bens que possuem era bem assim esse escravo mulato por nome Joaquim José Pereira de idade de vinte anos mais ou menos filho de sua escrava que foi por nome Florinda crioula que casada com Domingos seu escravo quitado bem já foi e cujo mulato Joaquim Jozé Pereira de fora que muito de suas livres e expontâneas vontades e sem constrangimento de forma alguma alforriam e libertam de todo o cativeiro ficando de hoje e para todo o sempre forro e liberto como se assim fosse do ventre de sua mãe pois o libertam de toda a exercida desde agora e para todo o sempre especialmente por ser o dito rapaz Joaquim Jozé Pereira filho dele outorgante e por tal o reconheceu ontem no que a dita Mãe ele outorgante era solteiro e poderá livremente tratar da vida por donde muito e para ser sempre os seus herdeiros testamenteiros ou descendentes e embora sabem emitem alguma opinião as justiças de sua vontade que Deus guarde de seu inteiro cumprimento a estas suas determinações e vontades e de como assim a definiram e outorgaram e pediram se grife esta escritura nesta minha Nota a qual sendo expedida a citação e assinação sendo a todos os presentes por testemunhas o capitão Antonio Teixeira de Oliveira Cardoso e Manoel de Oliveira Cardozo e o sargento-mor Joaquim Jozé Monteiro moradores nesta vila e conhecidos de mim Antonio de França Tabelião que o escrevi.”

Abaixo imagem final do texto desta carta de alforria com a assinatura dos concedentes e testemunhas.

assinaturas-alforria-014

Anúncios

2 pensamentos sobre “A Alforria de Joaquim José Pereira

  1. […] Em 20/11/1791 concede alforria e reconhece a paternidade de Joaquim José Pereira, seu filho com a escrava Florinda. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2016/10/25/a-alforria-de-joaquim-jose-pereira/ […]

    Curtir

Deixe uma resposta para Carta de Alforria concedida pelo Capitão Joaquim José Pereira em 1777 | Pioneiros das Lagens Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: