Requerimento dos moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão de 1768

3

28/10/2016 por FG Rincão da Forquilha

Requerimento dos moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão ao rei D. José, datado de 23/11/1768, solicitando ordem real para que o provedor da Fazenda Real de Viamão permita o transporte de cavalos, jumentos e gado para as fazendas da serra sem a cobrança dos provimentos do Registro.

Pela análise do documento concluimos que estancieiros do Rio Grande expulsos pela invasão espanhola de 1763, subiram a serra a procura de terras devolutas para se estabelecer. Parece ser o caso de dois importantes pioneiros, que subscrevem o requerimento:  Joaquim José Pereira(Fazenda Grande) e Antonio José Pereira(Fazenda Curitibanos).

Em 1760 o governador espanhol em Buenos Aires, Don Pedro de Cevallos, começou a intimar os portugueses a abandonarem todas as terras ocupadas ilegalmente. Diante da ausência de resposta, em 1763 atacou e conquistou Rio Grande, provocando a fuga em massa dos populares e obrigando a mudança às pressas da capital portuguesa para Viamão.https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_Rio_Grande_do_Sul

Também se conclui pela análise deste documento de que a forma de aquisição das terras pelos primeiros povoadores foi a posse de terras devolutas.

O último dado importante deste documento é sobre a formação do rebanho bovino crioulo lageano. Até então se acreditava que a principal contribuição tenha sido dada pelos rebanhos bovinos deixados na serra pelos jesuítas.

Entretanto, pela análise deste documento, concluimos que quando os primeiros povoadores chegaram aqui para estabelecer fazendas, o rebanho já havia escasseado e os pioneiros tiveram que transferir rebanhos bovinos e equinos das planícies do pampa para repovoar suas fazendas na serra.

A invasão espanhola aconteceu me 24/04/1763 e a capital da capitania do Rio Grande de São Pedro foi transferida para o Arraial de Viamão em 12/05/1763. Os requerentes já estavam estabelecidos com fazendas na serra há pelo menos 2 anos, o que leva a crer que haviam transferido rebanhos anteriormente. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/09/20/a-polemica-fundacao-da-villa-das-lages-oficio-de-08011767-anexos-7-e-8/

Considerando os fatos relatados, se conclue que durante um longo tempo os rebanhos foram tropeados das planícies gaúchas para a serra, sem qualquer impedimento. Provavelmente o novo almoxarife da Fazenda Real em Viamão, José de Alencastro, nomeado em 18/08/1768, adotou medidas para aumentar a arrecadação do Registro de Viamão,  gerando protesto dos fazendeiros lageanos.

Original arquivado na caixa 2, documento sob nº 158, do Arquivo Histórico Ultramarino, seção Rio Grande do Sul.

Segue abaixo a capa de arquivamento e a transcrição deste requerimento de 23/11/1768:

capa

“Dizem Francisco Jozé de Britto, Antonio Jozé Pereira, Joaquim Jozé Pereira; e os mais moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão do distrito do Rio Grande de São Pedro do Sul, que sucedendo a invasão dos espanhóis naquele continente se viram precisados a se estabelecer em cima da Serra com suas fazendas e criações, aonde há um sertão de mais de cem léguas, no qual podem acomodar-se muitos vassalos de Vossa Magestade; Resultando disso interesse considerável aos Reais direitos, e querendo conduzir as suas criações de animais são impedidos no Registro de Viamão, onde não quer o Provedor deixar passar éguas, jumentos e gados dando por razão que a multiplicação de fazendas em cima da serra prejudica os direitos daquele Registro, onde há uma ordem do Excelentíssimo Conde de Bobadela registrada no serviço da Provedoria a nº 58 para se pagar de cada potro e besta moar dez tostôes, cujo impedimento causa maior prejuízo aos direitos de Vossa Magestade e aos vassalos do que o sonhado interesse que o mesmo Provedor considera; aos vassalos porque ocupando atualmente o espanhol muitas terras, em que lhes se achavam estabelecidos com fazendas e sendo precisados a se retirar, não há terreno para baixo da Serra onde se possam acomodar e somente no Sertão de cima dela chamado da Vacaria e Lages, é que podem situar, por não haver outra parte cômoda naqueles países a Vossa Magestade, e porque o aumento dos Reais direitos está no maior estabelecimento dos Povos, e em que haja terras onde plantem e criem; por ainda as criações ficarem fora do Registro, nele não paguem; Contudo requerem passando à Cidade de São Paulo; pagarão no Registro de Coritiba maior quantia. O mesmo sucede aos moradores que povoam os Campos de Coritiba, que ficam fora daquele Registro; os quais só pagam na Entrada de Minas e nisto mesmo está a maior utilidade da Povoação das terras; pois senão se conceder poderiam os vassalos alojar-se e diminuirem as criações, e por conseguinte os direitos em todos os Registros, e do contrario há maior multiplicação, e nela mais utlidade a Vossa Magestade e Povos. Acresce disso outra razão fundada na Alta Providência de Vossa Magestade.

Foi Vossa Magestade desde o ano de 50 em diante mandou tranportar para aquele Continente muitos centos de pessoas com o fim da sua povoação. Estavam estas a multiplicar, via próxima mas o espanhol tomou mais de 50 léguas de terra, recolheu-se a gente ao interior do País; acha-se sem fazendas; porque o que a ele havia está ocupada, e disto parece que se segue em execução da Providência de Vossa Magestade em mandá-los para lá terem justa razão de quererem alojar-se; pelo que há devolutas, para o Sertão despovoado, adonde tem terras de que se possam sustentar com o exercício do seu trabalho. E como para isto precisam dessas suas criações especialmente éguas, jumentos e gados para a multiplicação; cujos animais não são compreendidos nos direitos, que se pagam naquele Registro.

A Vossa Magestade se digne mandar que o Provedor da Fazenda Real de Viamão, não impeça aos signatários poderem tranportar para as suas fazendas de cima da Serra, nem a outros que lá se queiram estabelecer, éguas, jumentos, e gado para a multiplicação, dignando-se assim conceder-lhes facilidade de o fazerem livremente, para desta forma poderem subsistir e cultivarem aqueles Sertões, que prometem uma grande utilidade, em poder suprir as terras que os espanhóis ocuparam.”

Anúncios

3 pensamentos sobre “Requerimento dos moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão de 1768

  1. […] Em 23/11/2018 se comemorou os 250 anos do requerimento dos moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão ao rei D. José, datado de 23/11/1768, solicitando ordem real para que o provedor da Fazenda Real de Viamão permitisse o transporte de cavalos, jumentos e gado para as fazendas da serra sem a cobrança dos provimentos do Registro. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2016/10/28/requerimento-dos-moradores-dos-campos-das-lages-… […]

    Curtir

  2. […] Em 23/11/1768, os irmãos Antonio José Pereira(Fazenda Curitibanos) e Joaquim José Pereira(Fazenda Grande) subscreveram requerimento em nome dos moradores dos Campos das Lages e cima da Serra de Viamão ao rei D. José, solicitando ordem real para que o provedor da Fazenda Real de Viamão permitisse o transporte de cavalos, jumentos e gado para as fazendas da serra sem a cobrança dos provimentos do Registro. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2016/10/28/requerimento-dos-moradores-dos-campos-das-lages-… […]

    Curtir

  3. […] MIgrou para a serra a procura de terras devolutas boas para criação de gado,  com o irmão Joaquim José Pereira. https://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2016/10/28/requerimento-dos-moradores-dos-campos-das-lages-… […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: